Hino para Judas

Atualizado: Abr 15


Foda-se, Judas morreu

E a seguir posso ir eu

Trapaceiro, manhoso e aldrabão

Era um nazi dum cabrão

O rei do extremo-ocidente

Deixava a esquerda doente

E a direita divergente

Cirúrgico a bater de frente

Com os idealistas e os moralistas


Com classe falava mal

De todos por igual

Vivia pela própria moral

A sua própria conduta

Parecia mas não

Era um filho da puta

O Hitler era um gajo bacano

Também sabia ser cigano

À sua maneira socialista

De ser nacional-benfiquista


Morte em junho

Divisão da alegria

Uma chave de fendas

A tua fantasia

Um épico amor desfeito

Por desprezo e ironia

Mantinha o distanciamento

Dos idiotas da maioria


Nunca te contei

Mas sempre te admirei

Meu sacana totalitário,

Ficava a sentir-me um otário

Quando te ouvia falar

Sobre o estado e o capitalismo

A miséria da modernidade

Eras um arauto da verdade

Eras o melhor do fascismo

E o pior do anarquismo


Ainda guardo no armário

Os discos que me deste

E no subjugado coração

A forma como engrandeceste

A merda da nossa geração

Sem honra nem glória


Pensei que ias fazer história

Enterrar-nos a todos.

Mesmo que estejamos

A fazer isso tão bem sozinhos


Voa alto, meu Duque

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo